(11) 3348-4000   |   sac@craz.com.br  Localização
Intranet

DIABETES NA INFÂNCIA 3 de janeiro de 2018

Dra.-Maria-Beatriz-Souza_Saúde-da-Criança_Diabetes-na-infância

Endocrinologista Pediátrica da Cruz Azul aborda os cuidados com a Diabetes tipo 1, que tem forte incidência em crianças

Diabetes Mellitus tipo 1 (DM1), antigamente chamada de insulino-dependente, é uma doença crônica, autoimune, que afeta igualmente homens e mulheres. Embora geralmente comece em pessoas com menos de 20 anos, pode acontecer em qualquer idade, desde a fase infantil.

Ainda não conhecemos todas as causas que levariam a desenvolver Diabetes tipo 1, mas sabemos que os genes desempenham um papel importante, além de causas externas, como infecção por vírus, em que o sistema imunológico ataca erroneamente as células beta do pâncreas, as quais são responsáveis pela produção e liberação do hormônio insulina.

Muitas vezes, os sintomas são sutis, mas podem se agravar, com risco de morte: muita sede, boca seca, perda de peso, mais fome, náuseas e vômitos, dor na barriga, micção frequente, fadiga (sensação fraca e cansada), visão embaçada, respiração pesada, infecções frequentes da pele, trato urinário ou vagina. Alguns sinais são considerados mais graves e devem ser avaliados na emergência médica, como: agitação, confusão, respiração rápida, hálito de frutas (maçã velha), perda de consciência (condição mais rara) e dor abdominal mais intensa.

O diagnóstico de DM1 é simples, por meio da coleta de Glicemia (níveis de açúcar no sangue) ou exame de urina, significando que o corpo não pode mais produzir a própria insulina, logo, é preciso repor esse hormônio para ajudar as células no uso do açúcar no sangue. Dieta e exercícios adequados também podem contribuir para manter o nível de glicose em uma faixa saudável.

Pessoas com Diabetes tipo 1 devem tomar insulina todos os dias, geralmente através de uma injeção subcutânea. Alguns usam uma bomba de insulina que injeta por meio de um cateter na pele. É importante construir um plano de alimentação saudável para a manutenção dos níveis glicêmicos ideais e, para isso, uma equipe multidisciplinar é necessária, envolvendo Endocrinologista, Nutrólogo e Nutricionista.

Ao longo dos anos, os níveis elevados de glicose no sangue podem prejudicar nervos e pequenos vasos sanguíneos nos olhos, nos rins e no coração, além de ocasionar a arterosclerose, o que pode levar a ataques cardíacos.

Dentre as principais complicações, temos a Retinopatia Diabética, um problema ocular que ocorre em cerca de 80% dos adultos que tiveram Diabetes tipo 1 por mais de 15 anos. É rara antes da puberdade e pode levar à cegueira, se não tratada. Em caso de danos nos rins, cerca de 20% a 30% das pessoas recebem uma condição chamada Nefropatia Diabética, que é mais provável que apareça de 15 a 25 anos após o início do Diabetes. Isso pode levar a outros problemas graves, como insuficiência renal e doença cardíaca.

Diabetes pode danificar os nervos e levar à Neuropatia Diabética, causando uma perda de sensação e falta de suprimento sanguíneo aos seus pés, logo, pequenos cortes, especialmente no fundo dos pés, podem rapidamente se transformar em úlceras graves e infecções, já que a pessoa não consegue sentir ou ver os cortes, então, se não tratada a tempo, pode ensejar em uma amputação e perda de um membro. Por isso, é importante verificar os pés do diabético regularmente. Se perceber ferimentos, é crucial informar imediatamente o médico.

Infelizmente, ainda não existe cura da DM1, mas com o tratamento correto, é possível ter uma vida longa e saudável. A chave para uma boa saúde, nesses casos, é manter seus níveis de açúcar no sangue dentro do alcance normal, controlando-os com frequência através de medidas de glicemia capilar (Dextros), ajustar e corrigir glicemias altas com uso de insulina, alimentação saudável e equilibrada, juntamente com uma atividade física regular.

Portanto, é imprescindível ficar atento aos sintomas e realizar exames de rotina. No caso das crianças, a cada seis meses ou ainda anualmente, mediante indicação do Pediatra.


Por Dra. Maria Beatriz Souza
Endocrinologista Pediátrica da Cruz Azul

 

MENU
Últimas Notícias
Cruz Azul de São Paulo
Av. Lins de Vasconcelos, 356 – Cambuci
CEP: 01538-900 – São Paulo – SP
(11) 3348-4000
Como Chegar
Prêmios & Certificações:
Cruz Azul Cruz Azul Cruz Azul Cruz Azul
Links Úteis:
CBPM POLÍCIA MILITAR DE SÃO PAULO Cruz Azul Cruz Azul Cruz Azul Cruz Azul Cruz Azul
Cruz Azul 1925/2018 © Todos os direitos reservados